domingo, 20 de maio de 2018

Artigo de Flávio Dino: Retratos de um Maranhão de oportunidades




Entre os bons momentos que presenciei nos três anos exercendo a função de governar, o diálogo constante com homens e mulheres que se dedicam a inovar é um dos mais instigantes. Na semana que passou, participei de uma ótima reunião com líderes de startups. São coordenadores de projetos em fase de construção, que passaram por uma seleção para receber apoio governamental, totalizando 14 ideias para a inovação na iniciativa privada.
Bons relatos também ouvi na 16ª edição da Agrobalsas sobre o setor produtivo, onde pude constatar os frutos da nossa política de incentivo aos empreendedores. Em mais um ano, a agricultura maranhense mostrou a riqueza que brota em nosso chão e que somos capazes de, juntos, fazer nosso Estado estar na dianteira do país. Nossa mais recente conquista foi o crescimento recorde do PIB maranhense, alcançando o primeiro lugar no Brasil em termos percentuais. Acredito, com o que tenho observado, que em 2018 este recorde será repetido.
Enquanto a produção cresce e aproveita o que temos de melhor na natureza, o papel do Estado tem sido feito. Desde o início desta caminhada, nosso foco foi propiciar um ambiente saudável para os negócios privados, pondo fim a práticas ultrapassadas de benefício de pequenos grupos familiares ligados aos antigos donos do poder.
Estão em pleno funcionamento programas voltados para a área. Nossa Caravana para o Desenvolvimento Empresarial chegou a mais de 20 cidades, reunindo as comunidades vizinhas. Com ela, empresários locais tiveram acesso aos programas de apoio financeiro estaduais, renegociação de dívidas, de capacitação e adequação às normas legais. No setor rural, reduzimos as alíquotas de ICMS de 12% para 2%, fazendo nossa parte para apoiar o produtor e contribuindo na alta do PIB.
Em 2018, também entrou em vigor a ampliação do teto para as micro e pequenas empresas que se encaixem na tabela do Simples. Agora, os negócios cujo faturamento chegue a R$ 3,5 milhões por ano terão a carga tributária reduzida. A média de pagamento passará de 18% para 3%, com previsão de inclusão de mais 30% nos empreendimentos beneficiados.
São mudanças significativas na relação entre o Estado e a iniciativa privada. Agora, somos parceiros e apoiadores de todos os que se disponham a fazer o Maranhão crescer.  E nos orgulhamos da pluralidade de empreendimentos que vimos nascer, se desenvolver e consolidar com a nova postura.
Isso mostra um novo cenário para os maranhenses, que respiram ares de liberdade para propor novos rumos e vê-los se concretizar. Nosso papel, como governo, é incentivar e fazer com que esse crescimento produtivo se reflita em mais justiça social para todos. Por esse motivo, o Maranhão recebeu destaque nacional como o segundo estado com maior investimento em políticas públicas em todo o Brasil, conforme ranking do Portal G1.
Esse crescimento tem sido construído com a soma de muitos esforços e muitas mãos. Todos eles, mesmo oriundos de caminhos diferentes, podem e devem se cruzar para que o Maranhão seja um Estado de todos. Temos orgulho do modelo de governança compartilhada que estamos construindo. Vemos, com alegria, cada vez mais pessoas se somarem para escrever páginas novas dessa história.

Consórcio de candidatos de Sarney vai trazer para a campanha do Maranhão tudo o que há de pior na política brasileira

JM Cunha Santos



O consórcio de candidatos formado no Maranhão (Roseana Sarney, Eduardo Braide, Roberto Rocha, Maura Jorge, Ricardo Murad etc.) para empurrar a qualquer custo a eleição de 2018 para o segundo turno vai juntar no Maranhão tudo o que há de pior na política brasileira: corruptos e corruptores, racistas disfarçados, xenófobos, fascistas, tiranos resguardados, caluniadores e difamadores, fisiológicos patológicos, extremistas, vendilhões de pesquisas, guardiões das desigualdades sociais, defensores da violência oficial contra os movimentos sociais e manifestações populares, capitalistas selvagens adeptos da regra “o povo que se lasque, desde que eu me dê bem”.
O vampiro Michel Temer já prometeu abrir os cofres para Roseana Sarney. E a filha dileta de seu guru se apossou do Fundo Partidário e exige que o império midiático que comanda ao lado de Edison Lobão aniquile a imagem do governador Flávio Dino. Propõe, assim, uma devastação moral para a qual não tem nenhuma base, pois trata-se, afinal, do governador Flávio Dino, respeitado e reverenciado em todo o país pela ética de seu governo e por seu histórico na vida pública. Vão, portanto, transformar a campanha num festival de calúnias, difamações, baixarias de toda ordem, enquanto não olham para os próprios rabos, sujos por um maremoto de denúncias de corrupção que vem, inclusive, do próprio Supremo Tribunal Federal e da Procuradoria Geral da República, envolvendo Lobão e José Sarney.
O Maranhão não é mais um feudo eleitoral da família Sarney e isso os desconecta. Aliás, o Maranhão não é mais feudo político de ninguém, pois que a ação democrática, o surpreendente número de obras nas mais nobres áreas da administração, driblando a crise econômica, a proximidade com os mais diversos estamentos sociais e o alto grau de transparência do governo Flávio Dino acabaram por criar um alinhamento ideológico no seio do eleitorado maranhense. Que não quer permitir o retorno da direita corrupta, do fisiologismo patológico, dos privilégios de meia dúzia em detrimento de um povo que os Sarney, durante 50 anos, atolaram em areias movediças, muito abaixo da linha de pobreza, enquanto se entregavam à esbórnia da lagostagem, das obras falsas (Refinaria Premium I) fantasmas e eleitoreiras, dos superfaturamentos e das negociatas com licitações.
Se pensam o contrário, ninguém esqueceu o que fizeram nas secretarias de Saúde e da Fazenda do Maranhão: um bilhãozinho pra cá, outro bilhãozinho pra lá e tome porre! Agora na mesa de figuras excrescentes como Michel Temer, Jair Bolsonaro e outros golpistas como o próprio Sarney, dispostos a tudo para tomar ou se manter no poder no Brasil e querendo levar nessa enxurrada o Maranhão.

sábado, 19 de maio de 2018

Maranhão tem melhor saldo de empregos dos últimos seis anos para o mês de abril




O Maranhão registrou 1.332 novas contratações com carteira assinada em abril de 2018. Foi o melhor resultado para o mês nos últimos 6 anos.
O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC) monitora os dados sobre o mercado formal de trabalho no Estado, por meio de informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho e Emprego. A nota completa sobre os resultados para o mês de abril pode ser lida clicando aqui.
Além dos bons resultados verificados em abril, o primeiro quadrimestre de 2018 também apresentou desempenho positivo, quando foram realizadas 1,8 mil admissões líquidas no Estado. Os setores de agropecuária e serviços foram os responsáveis pela maior parte das novas vagas.
O presidente do IMESC, Felipe de Holanda avalia a retomada do emprego no Estado. “O setor Serviços registrou maior demanda de emprego formal, com liderança do segmento de Comércio e Administração de Imóveis e as Atividades de Cobranças e Informações Cadastrais. Em relação à Agropecuária, a atividade predominante para o bom desempenho do setor foi o Cultivo de Cana-de-Açúcar”.
Felipe de Holanda explica que também houve mudanças no setor de Construção Civil. “Verifica-se uma suavização de 622 demissões líquidas em relação ao saldo registrado no primeiro quadrimestre de 2017”.
Mais Empregos em São Luís
Dentre os municípios maranhenses que mais geraram empregos formais estão: São Luís, com 1,5 mil vagas abertas; Balsas, com 540; Campestre do Maranhão, 270 novas vagas; e Açailândia, com 205 oportunidades criadas com carteira assinada.
O desempenho positivo da capital maranhense se deve em parte ao setor de Serviços, em especial nos segmentos de Cobranças e Informações Cadastrais, Pesquisa e Desenvolvimento Experimental em Ciências Sociais e Humanas, Serviços Combinados de Escritório e Apoio Administrativo.
Municípios
Segundo o estudo do IMESC, os setores de serviços, agropecuária e a indústria de transformação foram responsáveis pela maioria das novas oportunidades de trabalho formal no interior do Estado.
Em Balsas, o crescimento em Serviços gerou 329 novas vagas formais no mês de abril, com destaque para atividades Testes e Análises Técnicas e Atividades de Vigilância e Segurança Privada. Nos municípios Campestre do Maranhão e Açailândia o setor da Agropecuária foi o principal vetor de contratações, com registro de 226 e 174 trabalhadores com carteira assinada, respectivamente.
No primeiro município o maior saldo positivo foi registrado na atividade Cultivo de Cana-de-Açúcar (+218), enquanto em Açailândia o segmento de Apoio à Produção Florestal (+257) foi destaque na criação de emprego formal. Já em São Raimundo das Mangabeiras o setor da Indústria de Transformação foi destaque na geração de postos de trabalho, criando 97 postos de trabalho.

Prefeito Edivaldo vistoria execução de etapa final da construção de ponte na Vila Isabel

A construção da ponte da Rua do Comércio, esperada pela comunidade há mais de quatro décadas, é mais um investimento da gestão do prefeito Edivaldo para a melhoria da infraestrutura da região Itaqui-Bacanga



O prefeito Edivaldo acompanhou, na manhã desta sexta-feira (18), os serviços de construção da ponte da Rua do Comércio, na Vila Isabel, região Itaqui-Bacanga. Em fase de conclusão, a obra, esperada há mais de 40 anos pela população, vai beneficiar moradores de toda área. A obra favorece a mobilidade, comprometida pela falta de estrutura da ponte, que era de madeira e dificultava o acesso dos moradores para o lado oposto da via. A ação é mais um investimento da Prefeitura de São Luís para a melhoria da infraestrutura dos bairros da região.
"A nossa gestão segue com a preocupação de sempre proporcionar melhorias na qualidade de vida dos moradores da cidade de São Luís. Com obras como essa, estamos transformando realidades. É o poder público municipal intervindo positivamente no cotidiano das pessoas, favorecendo a mobilidade e facilitando o acesso da população aos serviços públicos, cada vez mais aprimorados por nossa gestão", enfatizou o prefeito Edivaldo, que estava acompanhado do deputado estadual Edivaldo Holanda, do vereador Raimundo Penha e de secretários municipais.
A obra encontra-se em fase de conclusão, com a concretagem dos guarda-corpos e das cabeceiras dos dois lados, além da finalização da passarela para pedestres. Após etapa de concretagem, será construída a rampa que nivela a ponte com a via e permitirá também a passagem de veículos de todos os portes.
A obra está sendo executada pela Prefeitura de São Luís, coordenada pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh). O secretário municipal da pasta, Mádison Leonardo Andrade, ressaltou o compromisso da gestão com a execução da obra. "Estamos muito felizes por estar atendendo a um anseio antigo da comunidade. Aqui havia uma ponte de madeira que estava deteriorada. Agora, com a ponte completamente reestruturada, a população transitará com segurança", pontuou o secretário.
MOBILIDADE E SEGURANÇA


A manicure Júlia Gomes, 35 anos, moradora da Vila Isabel há 18 anos, lembrou que os moradores esperavam por essa obra há mais de 40 anos. "Nossa luta valeu a pena e está sendo bem recompensada. Sem essa passagem aqui, a gente tinha que dar uma grande volta. A ponte de madeira também não oferecia segurança alguma para os moradores aqui da área. Ainda bem que pensaram até na nossa segurança", disse.
A ponte possui nove metros em concreto e aço, com cinco metros de largura e 1,05 metros de passagem de pedestre, que também favorecerá a acessibilidade, permitindo o trânsito de pessoas com deficiência. Além de favorecer a mobilidade, a obra facilitará o acesso de políticas públicas na área da saúde e da segurança, permitindo o acesso de ambulâncias e viaturas.
"Quando era preciso, as ambulâncias chegavam aqui com muito sacrifício. Agora vai melhorar para a comunidade. Estamos muito felizes em ver que essa obra está sendo realizada", afirmou Maria Zilda dos Santos, 59 anos, que mora há 30 anos no bairro.


A aposentada Rita Maria Moreira, 66 anos, mora há 45 anos no bairro e avalia positivamente o andamento da obra. "Estamos ansiosos por essa inauguração. Estamos muito felizes em ver que está dando tudo certo com a obra. Essa ponte vai ser uma benção em nossas vidas. Era um sofrimento muito grande para a gente ter que dar a volta para chegar em casa ou se arriscar se equilibrando no que tinha de ponte. Essa é a primeira gestão que olha pela gente e eu nunca tinha visto um prefeito andando por aqui como o Edivaldo anda", contou.
AÇÕES
Na Vila Isabel, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) tem intensificado as ações de limpeza e desobstrução de galerias, com retirada de resíduos. Na Rua Senador Pompeu, estas ações reduziram os alagamentos registrados no início do período das chuvas.
A Semosp está concluindo a construção da galeria de concreto que possibilitará o escoamento das águas pluviais de um córrego antes existente no local. A drenagem tem garantido a conservação da pavimentação da via próxima à região do mangue.
Segundo explicou o secretário Antonio Araújo, da Semosp, com a conclusão das obras a comunidade terá melhores condições de moradia. Mais de 100 famílias estão instaladas no antigo leito do córrego, que hoje se transformou em rua com acesso a veículos e circulação confortável das pessoas.
"A construção da galeria e pavimentação das ruas é uma demanda antiga desta comunidade que o prefeito Edivaldo se comprometeu em realizar e está concluindo. Estamos reforçando a estrutura para conter a erosão dos terrenos, ao mesmo tempo dando escoamento às águas", explicou Araújo, que também acompanhou o prefeito durante a vistoria da obra de construção da ponte.
Além da nova ponte, o bairro da Vila Isabel também já recebeu investimentos de asfalto, implantação de via Interbairros, melhoria da iluminação pública.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Flávio Dino destaca trabalho de Simplício Araújo na Secretaria da Indústria, Comércio e Energia

Blog do John Cutrim


O Governador Flávio Dino não mediu as palavras para destacar o trabalho do presidente do Solidariedade, Simplício Araújo, que ocupou o seu Governo no cargo de secretário de Indústria, Comércio e Energia.
Durante evento da sigla, o Governador disse que várias empresas foram atraídas para o Maranhão, é citou como exemplo, a reativação da usina de pelotização da Vale. Demonstração, segundo ele, que o Estado hoje é seguro para investimentos. Fruto do Trabalho de Simplício Araújo, que ainda implantou contrapartidas sociais.
“Ainda na semana passada, nós tivemos a prova dessas contrapartidas sociais entregamos as ambulâncias doadas pela empresa Raízen. Para mostrar a importância do trabalho do Simplício”, pontuou Dino.
O Governador ainda frisou a importância do apoio ao projeto de Araújo rumo a Câmara Federal. “Desejo que o Simplício lá esteja [Câmara Federal]. Ele é uma voz necessária diante de tudo que falei”.

Lobão e Sarney ultrajam o Maranhão em meio a um mar de denúncias de corrupção

Jornalistas, radialistas, blogueiros, titulares de portais e sites que não se alinham ao deplorável sarneisismo, estão sendo monitorados, vigiados, gravados, arquivados. Vem aí uma avalanche de ações judiciais contra a imprensa do Maranhão.

JM Cunha Santos


A denúncia da Procuradoria Geral da República sobre o pagamento de 40 ou 46 milhões de reais pela J&F a senadores do MDB, a pedido do PT que, com estes recursos, estaria comprando apoio às eleições de 2014, assegurando a aliança entre os dois partidos, especifica valores recebidos por alguns parlamentares:
Eduardo Braga – R$ 6,08 milhões
Vital do Rego    -  R$ 6 milhões
Jader Barbalho -  R$ 8,9 milhões
Eunício Oliveira – R$ 5,6 milhões
Renan Calheiros – R$ 9,9 milhões
Eduardo Alves    -  R$ 2,9 milhões
Esse indicativo da PGR não especifica quanto receberam os senadores Edison Lobão (MA) Valdir Raupp (RO) e Roberto Requião (PR), mas mostra que na rota da corrupção alguns são mais senadores que os outros, como os gulosos e famintos Renan Calheiros e Jader Barbalho que abocanharam as maiores quantias. A denúncia foi baseada nas delações de Sérgio Machado, da Transpetro e Ricardo Saud, executivo da J&F e já acatada pelo ministro Luis Edison Fachin, do Supremo Tribunal Federal.
Por outro lado, a Procuradora Geral da República, Racquel Dogge, após   consulta dos próprios acusados, reafirmou o esquema de corrupção da subsidiária de transporte e logística da Petrobrás (Transpetro). Constam da denúncia José Sarney, Renan Calheiros, Garibaldi Alves e Waldir Raupp.
Conforme a denúncia feita em 2017 ao Supremo Tribunal Federal, eles receberam R$100 milhões em propina. Somente José Sarney teria abocanhado R$18 milhões e a Procuradoria quer que Sarney e os demais se tornem réus no STF por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo o mesmo pedido de abertura de inquérito, como forma de mascarar a propina o dinheiro era repassado a Diretórios do MDB. Parte dessa bolada, noticia a imprensa, foi parar nos diretórios do MDB do Maranhão e do Amapá que como todos sabem são controlados pelo grupo Sarney.
É enormemente ultrajante para os maranhenses que essa gente com presença cativa nas crônicas de corrupção e nas páginas policiais do país disputem vaga no Senado por esse Estado e ajam de dentro de seus submundos para retornar ao Governo do Maranhão.
Só que hoje estão mais em busca de alguma forma de imunidade para escapar da Justiça que a exercer, de fato, os cargos que resolveram disputar.
Em tempo: Estou informado de que jornalistas, radialistas, blogueiros, titulares de portais e sites que não se alinham ao deplorável sarneisismo estão sendo monitorados, vigiados, gravados e arquivados. Vem aí uma avalanche de ações judiciais no propósito de silenciar a imprensa do Maranhão.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Governo do Estado investe mais de R$ 11 milhões na Educação só nos primeiros 15 dias de maio




Levar esperança e dignidade para a sala de aula é um dos objetivos do Governo do Maranhão quando entrega escolas com estruturas totalmente transformadas. Atualmente, em uma parceria das secretarias de Infraestrutura (Sinfra) e Educação (Seduc), o Governo já entregou mais de 750 escolas – entre construções, reformas e revitalizações – em todo o estado. E, só nos primeiros 15 dias de maio, foram mais de R$ 11 milhões investidos em mais de seis cidades maranhenses.
Os investimentos iniciaram pela região da Baixada Maranhense, onde o Governo do Maranhão entregou as reformas dos Centro de Ensino Rio Grande do Sul, em Palmeirândia, e Artur Teixeira de Carvalho, em Peri Mirim. As escolas receberam serviços de demolição e reconstrução de paredes, pintura geral, revestimento, troca de telhado, instalação de forro, substituição de piso, portas, janelas, além da melhoria dos sistemas hidráulico e elétrico.
“O governador Flávio Dino entrega, toda semana, escolas reformadas, construídas ou revitalizadas. Já são mais de 750 obras na educação em todas as regiões maranhenses, resultado do Programa Escola Digna, que já se consolidou como o maior programa de investimentos educacionais da história do Maranhão. A cada escola que entregamos, a maior realização é ver o brilho nos olhos de estudantes e professores felizes com a mudança”, destacou o secretário Felipe Camarão.


A região Leste também foi contemplada com a entrega do Centro de Ensino Robson Parentes Noleto Silva, na cidade de Timon. Mais de 160 alunos que moram no bairro Novo Tempo, e que antes precisavam fazer um deslocamento de mais de 5 quilômetros para poder chegar até a escola, receberam um prédio novinho com seis salas, banheiros adaptados, cozinha, pátio, e salas de: informática, professores, direção, secretaria, depósito e biblioteca.
Pastos Bons e Nova Iorque do Maranhão também receberam investimentos para a comunidade escolar. O Centro de Ensino Anália Neiva, em 49 anos, nunca havia passado por uma reforma. A estrutura do prédio que estava em um péssimo estado de conservação desestimulava quem estudava e quem trabalhava na unidade.
O prédio escolar foi totalmente reformado do telhado ao piso. Com uma subestação de energia, a escola agora possui o conforto de possuir um sistema de climatização em todas as salas. Além disso, ganhou salas de professores, diretoria e um pequeno auditório.
“São os investimentos do Governo Flávio Dino que possibilitam a consolidação do maior programa educacional do estado, beneficiando todas as regiões maranhenses, garantindo mais dignidade, melhores condições de aprendizagem e futuro próspero com maiores oportunidades para todos; esse é o governo da mudança”, destacou o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.
Nesta semana, o Governo entregou cinco unidades em um mesmo dia em São Luís. O Centro de Ensino em Tempo Integral Professora Estefânia Rosa, a Unidade Integrada Maria Firmina dos Reis, a Unidade Integrada Estado de São Paulo, o Centro de Ensino Paulo Freire e o Centro de Ensino em Tempo Integral Dr. João Bacelar Portela foram totalmente recuperados pelo Programa Escola Digna.
As cinco unidades receberam do Governo do Estado um investimento de R$ 6,7 milhões, recursos oriundos do Tesouro Estadual. Mais de 2.681 estudantes de Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular e Integral foram contemplados com a entrega das obras.

Prefeitura executa serviços de drenagem e requalificação de vias em vários pontos da capital

O trabalho é realizado pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) e inclui drenagem e manutenção asfáltica por diversos bairros

A Prefeitura de São Luís segue investindo em serviços de melhorias na infraestrutura da cidade. O trabalho é realizado pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) e inclui desobstrução do sistema de drenagem e manutenção asfáltica por diversos bairros da capital. Nesta segunda-feira (14), equipes da Semosp trabalharam no Renascença II e Avenida dos Holandeses, executando serviços de limpeza e reconstrução de bueiros e contenção de erosão.
O secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Antonio Araújo, ressalta os avanços da gestão do prefeito Edivaldo na área da infraestrutura. "Esse é um trabalho contínuo, que tem impactado positivamente na mobilidade urbana, tanto nas avenidas quanto nas vias dos bairros. Trabalhamos todos os dias, sob a orientação do prefeito Edivaldo, em várias frentes de serviços e esse trabalho contínuo vem refletindo de forma positiva na vida da população", disse.
No Renascença II, foi realizado o trabalho de reconstrução de bueiros deteriorados, que estavam prejudicando o tráfego de veículos em vias como a Avenida Jornalista Miécio Jorge e na Rua dos Betivis. Na região, também foi realizado o serviço de desobstrução do sistema de drenagem, com limpeza de bueiros e galerias. O trabalho contou com o suporte do caminhão hidrojato, eficaz na desobstrução da rede de drenagem.
Ainda na área de manutenção dos serviços de drenagem, a Prefeitura está atuando no Coroado e na Vila Lobão, com a desobstrução de canal e a construção de galeria, respectivamente. Equipes da Semosp trabalham também na desobstrução mecanizada do canal do Rio Gangan, importante para evitar pontos de acúmulo de água na região do Turu, principalmente durante o período chuvoso.
Já na Avenida dos Holandeses, o serviço de contenção de erosão foi executado com o objetivo de evitar danos à via, uma das mais movimentadas da cidade. No local, próximo à saída da Rua dos Bicudos, em frente à Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), a Semosp utilizou a contenção de rip-rap, utilizado cimento e areia. As sacas, que formam um paredão em concreto, protegem os taludes e evitam as erosões causadas, principalmente, no período chuvoso.
PAVIMENTAÇÃO

Equipes da Prefeitura de São Luís trabalham também na manutenção do pavimento. Os serviços nesta semana contemplam vias como as avenidas Getúlio Vargas, Senador Vitorino Freire, Jerônimo de Albuquerque e Santos Dumont; áreas como o Centro e o Elevado do Café; e bairros como Gapara, Reanascença II e João de Deus. Para melhoria do acesso, os trabalhos de terraplanagem estão em execução na Avenida São Jerônimo, na Rua da Brasília e no Tibiri.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Pré-candidatura de Roseana Sarney agoniza

Por Robson Paz


A 90 dias do fim do prazo de registro de candidaturas para as eleições de 7 de outubro, um mar de incertezas ronda a oposição sarneysista sobre o candidato que enfrentará o governador Flávio Dino na disputa pelo governo do Estado.
Há meses, escrevi neste espaço que o embate entre o governador Flávio Dino e a ex-governadora Roseana Sarney é improvável. Tese que se consolida à medida em que se aproxima o pleito.
A razão é simples. Sem apoio popular, político e aliada de Michel Temer, presidente mais rejeitado do país pós-ditadura, Roseana Sarney aposta as últimas fichas no poderio midiático do clã. E partiu para um festival de ataques Fake news ao governo Flávio Dino. Tentaram transformar em escândalo e envolver o governo no suicídio do médico Mariano Castro; no suposto monitoramento de políticos e a nomeação legal de capelães da Polícia Militar. Com baixa credibilidade e nenhum amparo na realidade, as investidas midiáticas da oposição sarneysista fracassaram, conforme atestam pesquisas.
A rejeição experimentada nas andanças pelo interior fez a emedebista recuar das aparições públicas. Aos defensores da candidatura de Roseana Sarney resta torcer por um ‘inusitado’ escândalo envolvendo o governo. Uma espécie de novo ‘Reis Pacheco’ para dar o mínimo de oxigênio ao projeto sarneysista de voltar ao poder. Chances remotas se considerarmos que o governo Flávio Dino se destaca como o mais eficiente do país, combate a corrupção e cuja transparência e controle dos gastos públicos saltou de zero para dez na escala da CGU (Controladoria Geral da União).
E na ausência de Roseana Sarney, qual será o posicionamento do clã? Apoiar Roberto Rocha? Estimular a candidatura de Eduardo Braide? Nenhuma coisa, nem outra. Ser a segunda força política do Estado não é a pior situação dos mundos. Menos ainda considerando que daqui a quatro anos haverá novo embate pelo governo e este não terá como candidato o governador Flávio Dino.
Por isso mesmo, Sarney não pensa na hipótese de transferir o espólio. Sabendo disso, o deputado estadual Eduardo Braide anunciará, nas próximas semanas, sua candidatura a deputado federal. Manterá, assim, o projeto de disputar a prefeitura de São Luís em 2020.
Pois bem, e o que faria o grupo Sarney? A prioridade do clã é eleger um senador. Com o olhar voltado para a eleição de 2022. A evidência aponta para a candidatura de Sarney Filho (PV). Mas, este poderá ser uma vez mais sacrificado e ceder a vaga para a irmã.
Qual seria a justificativa e quem substituiria Roseana Sarney? A explicação já começou a ser ensaiada. Roseana só aceitaria ser candidata ao governo no comando do MDB. Proposta, de pronto, recusada pelo senador João Alberto. Com a desistência de Roseana Sarney resta como alternativa a candidatura do fiel escudeiro de Sarney, João Alberto. Candidatura que cumprirá a tarefa de manter minimamente coeso os 25% orgânicos do grupo.
Aos demais candidatos do consórcio sarneysista restará resignarem-se à condição de linha auxiliar do projeto coronelista. E Flávio Dino segue com amplo favoritismo para conquistar o segundo mandato.
Radialista, jornalista. Secretário adjunto de Comunicação Social e diretor-geral da Nova 1290 Timbira AM.

Porque Flávio Dino vai vencer a eleição no primeiro turno

O cardume sarneisista, apesar do alto volume de agravos ao Código Penal, nunca foi alcançado pela justiça comum, mas é inevitável a exoneração histórica que o aguarda na próxima eleição.

JM Cunha Santos


A candidatura incubada de Roseana Sarney, a candidatura transilvânica de Eduardo Braide e a candidatura iscariótica de Roberto Rocha não perceberam o óbvio: o Maranhão ficou praticamente sem governo durante os 14 anos de Roseana Sarney e isso contribui fortemente para uma vitória do governador Flávio Dino ainda no primeiro turno.
Flávio Dino aparece nas pesquisas com 60 % das intenções de votos e oscilando para cima. Na última aferição, Roseana surge com 27%. Ainda não começou a campanha, mas no correr dela esses 27% da ex-governadora poderão encolher, se diluir na esteira da aliança da família com Michel Temer, negativado com incríveis 87% de rejeição, na falta de solidariedade com o verdadeiro pai de seus governos, o ex-presidente Lula na prisão, entre as tropas de choque de Lobão e Sarney Filho se matando por um mandato de senador. Lobão ou se elege ou vai parar no juizado de Curitiba e daí para a cadeia é só um passo.
Sarney não consegue sair desse alçapão e, embora escoltado financeiramente pelo asqueroso Michel Temer, estagna, em estado de permanente embolia política. Porque o grupo Sarney acostumou-se à financeirização das campanhas eleitorais, nas quais vencer não era uma questão de trabalho, era, antes, uma questão de ter dinheiro para comprar cabos eleitorais, vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, deputados, senadores, magistrados, presidentes de uniões e associações de moradores e esperar a contribuição desonrosa da agiotagem. Como, agora, eles não podem mais bamburrar nos cofres públicos falta ouro para voltarem no poder. E se tem por tão atarantados que a cinco meses da eleição sequer conseguem definir um candidato a governador.
Sabem, ainda, que vão enfrentar um candidato, Flávio Dino, que, acima da mais virulenta crise econômica nacional, cumpriu quase a totalidade de seus compromissos de campanha e que também pôs fim à corrupção endêmica que até 2014 dominava o Maranhão.
O cardume sarneisista, apesar do alto volume de agravos ao Código Penal, nunca foi alcançado pela justiça comum, mas é inevitável a exoneração compulsória que o aguarda na próxima eleição.

Pesquisa aponta que Flávio Dino vence a eleição no primeiro turno




Pesquisa Data Ilha divulgada nesta terça-feira (15) pela TV Difusora aponta que, se as eleições fossem hoje o governador do Maranhão, Flávio Dino seria reeleito logo no primeiro turno, com 60,03% dos votos.

Encomendado pela TV Difusora a cinco meses do pleito, o levantamento aponta que Flávio Dino venceria a disputa com mais de 30 pontos percentuais na frente da segunda colocada, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), que aparece com 27,68% dos votos válidos.

Ainda segundo a pesquisa, em terceiro lugar, estaria o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) com 6,87%, seguido por Roberto Rocha (PSDB) com 2,63%, Maura Jorge (PODE) com 1,40% e Ricardo Murad (PRP), que aparece em último lugar com 1,18%.

Na votação nominal, que considera os indecisos, brancos e nulos, Dino aparece na frente, com 52,36%. Nesse cenário, Roseana se mantém em segundo lugar com 24,15%, seguida por Braide com 5,99%, Roberto Rocha com 2,29%, Maura Jorge com 1,40 % e Ricardo Murad com 1,03%. Não souberam ou não responderam 4,91%. Brancos e nulos somaram 7,86%.

Aprovação

A pesquisa revelou ainda o nível de satisfação do governo Dino entre os maranhenses. Segundo o Instituto Data Ilha, o atual governo é aprovado por 60,09%. 37,01% dos entrevistados disseram desaprovar a atual gestão estadual.

A pesquisa foi registrada sob o número MA-05944/2018 no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e ouviu 2.137 maranhenses entre os dias 9 e 10 de maio. O instituto percorreu 37 cidades do estado.

É a segunda pesquisa Difusora/DataIlha divulgada este ano. A anterior foi em fevereiro e também apontava vitória de Flávio Dino no primeiro turno.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Esquerda, volver!

JM Cunha Santos


Não é tão súbita a guinada do país à direita e a opção cega de grande parte do povo brasileiro por ideais militaristas e por um regime de exceção. A última pesquisa para a Presidência da República revela que, desiludidos e indignados, milhões e milhões de brasileiros começam a acreditar que somente um regime de força recolocará o Brasil nos trilhos.
Os temores do ex-presidenciável Joaquim Barbosa, o ministro do Mensalão – a eleição de Jair Bolsonaro, a permanência de Michel Temer no poder ou o retorno a uma ditadura militar -  são cada vez mais palpáveis num cenário de muita violência nas capitais brasileiras e de intolerância zero com a corrupção.
A pregação neofascita de Jair Bolsonaro, que imagina um povo armado até os dentes atirando contra bandidos para todos os lados, confina os ideais democráticos e sequela o estado de Direito, mas ganha multidões de adeptos desiludidos com a classe política e com o nível de corrupção no país.
A intentona militarista não se mede, porém, apenas pelas intenções de votos nos candidatos à direita. Um número cada vez maior de militares aposentados disputa vagas no Congresso Nacional, há uma intervenção corrente no Rio de Janeiro e até para o Maranhão, na total impossibilidade de vencer pelo voto, deputados sarneysistas sem nenhum escrúpulo civilizatório, pediram uma intervenção militar.
Nesse cenário apavorante, o governador Flávio passou a conduzir o debate político nacional quando pregou a unidade das esquerdas em torno da candidatura de Ciro Gomes no caso, fático, da inelegibilidade do ex-presidente Lula.
Essa eleição é uma incógnita com mais de 40 % do eleitorado disposto a anular o voto, com um candidato como Bolsonaro que, sem nenhuma ideia do que seja governar, ocupa o segundo lugar nas pesquisas, com o centro-esquerda e o centro-direita no aguardo dos acontecimentos, o presidente da República, Michel Temer, assistindo sua família ser inquirida pela Polícia Federal e com o único líder de massas no país, Luís Inácio Lula da Silva, na prisão.
Nesse cenário de imprevisibilidades, há quem acredite que, mesmo da cadeia, Lula pode, sim, eleger o próximo presidente da República o que, é preciso acreditar, só será possível com a unidade das esquerdas, inclusive com o PT abandonando o arenoso terreno das impossibilidades.
Que assim seja.

Mesmo preso, Lula lidera pesquisa nos primeiro e segundo turnos, em todos os cenários




Pesquisa realizada pelo instituto MDA para a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é mantido como preso político do Poder Judiciário desde 7 de abril em Curitiba, segue liderando a preferência da maioria dos eleitores brasileiros.
Na modalidade estimulada, Lula 32,4%, Jair Bolsonaro 16,7%, Marina Silva 7,6%, Ciro Gomes 5,4%, Geraldo Alckmin 4,0%, Álvaro Dias 2,5%, Fernando Collor 0,9%, Michel Temer 0,9%, Guilherme Boulos 0,5%, Manuela D´Ávila 0,5%, João Amoêdo 0,4%, Flávio Rocha 0,4%, Henrique Meirelles 0,3%, Rodrigo Maia 0,2%, Paulo Rabello de Castro 0,1%, Branco/Nulo 18,0%, Indecisos 8,7%.
Confira as simulações para o segundo turno, onde Lula vence em todas:
CENÁRIO 1: Lula 44,9%, Geraldo Alckmin 19,6%, Branco/Nulo: 30,0%,

Indecisos: 5,5%.
CENÁRIO 2: Lula 45,7%, Jair Bolsonaro 25,9%, Branco/Nulo: 23,3%,

Indecisos: 5,1%.
CENÁRIO 3: Lula 47,1%, Henrique Meirelles 13,3%, Branco/Nulo: 33,0%,

Indecisos: 6,6%.
CENÁRIO 4: Lula 44,4%, Marina Silva 21,0%, Branco/Nulo: 29,3%,

Indecisos: 5,3%.
CENÁRIO 5: Lula 49,0%, Michel Temer 8,3%, Branco/Nulo: 37,3%,

Indecisos: 5,4%.
A Pesquisa CNT/MDA ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas das cinco regiões do país. (Do 247),

Sem Lula, Jair Bolsonaro é líder absoluto de intenções de votos 
O deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) manteve a liderança nos cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de acordo com pesquisa MDA divulgada nesta segunda-feira, 14, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Em comparação com o levantamento de dois meses atrás, Bolsonaro oscilou para baixo, dentro da margem de erro, e aparece com 18,3%.
Ele é seguido pela ex-senadora Marina Silva (Rede) e pelo ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que registraram, respectivamente, 11,2% e 9,0% das intenções de voto. Quase no limite da margem, de 2,2% para mais ou para menos, aparece o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB). O tucano caiu mais de três pontos em relação ao levantamento de março – eram 8,6%, agora são 5,3%.
Na sequência, apareceriam o senador Álvaro Dias (Pode), com 3,0%; o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), com 2,3%; o ex-presidente Fernando Collor (PTC), com 1,4%; a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB), com 0,9%; o líder do MTST Guilherme Boulos (PSOL), com 0,6%; o empresário João Amoêdo (Novo), com 0,6%; o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB), com 0,5%, o empresário Flávio Rocha (PRB), com 0,4%; o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), com 0,4% e o ex-presidente do BNDES Paulo Rabello (PSC), com 0,1%.
Os brancos e nulos somam 29,6% e os indecisos são 16,1%.
Com Lula
Apesar de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estar inelegível pelo atual entendimento da Lei da Ficha Limpa, ele, se puder disputar, lideraria com folga a simulação de primeiro turno, com 33,4% das intenções de voto. O segundo turno seria contra Bolsonaro, que, nesse cenário, apareceria com 16,7%.
Na sequência, Marina (Rede), Ciro (PDT), Alckmin (PSDB) e Álvaro Dias (Podemos) aparecem empatados dentro da margem de erro, com, respectivamente, 7,6%, 5,4%, 4,0% e 2,5%. Todos os demais candidatos não alcançariam 1,0% das intenções de voto.
Os dados foram coletados entre os dias 9 e 12 de maio, com margem de erro de 2,2% e nível de confiança de 95%. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas. A realizadora é o instituto MDA, contratado pela CNT. O número de registro do levantamento é o BR-09430/2018.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Coisa de doido! Instituto diz ter pesquisado 100 mil eleitores no Maranhão

JM Cunha Santos



Meninos, eu li! E que piada é essa? Estão chamando os eleitores maranhenses de idiotas. Segundo noticiou o blog do jornalista Jorge Vieira, um tal instituto MBO Publicidade, Marketing e Pesquisa, que, inicialmente, alegava ter entrevistado 10.993 pessoas, em segundo registro no TRE diz ter entrevistado mais de 100 mil eleitores no Maranhão.
Se duvidar, eles iniciaram a pesquisa em 2 de janeiro de 2015, um dia após a posse do governador Flávio Dino e só concluíram agora. Fico imaginando se eles não perguntaram a cães e gatos porque vão votar em Roseana Sarney, Eduardo Braide e Roberto Rocha.
Dentre todos os absurdos eleitorais que tenho assistido no Maranhão, este é o maior de todos. E tem mais: o instituo nem sequer passou por São Luís e Imperatriz, não aferiu as tendências do eleitorado das duas maiores cidades do Estado.
Imagino eu que tenham contratado, no mínimo, 50 mil pesquisadores para alcançar esse astronômico número de entrevistados. E isso tudo para mentir, mais uma vez que existe um empate técnico entre Roseana Sarney, a Não Candidata a Governadora, e o o governador Flávio Dino.
Preocupam-me também os custos dessa pesquisa. Quanto esse instituto dispendeu, quanto cobrou para realizar esse pesquisatório embromatório? Devem ter cobrado muito mais que o volume de recursos que, segundo o Ministério Público, desviados da Secretaria da Fazenda na gestão Roseana-Trinchão.
E como será que estão as pernas, as tíbias, os perônios, os fêmures, as patelas, os tendões desses pesquisadores? Depois dessa pesquisa, por terem andado tanto, o melhor que se faz é encaminha-los ao Hospital de Ortopedia e Traumatologia inaugurado no governo Flávio Dino, pois é certo que estão aleijados. Podem apostar.
Isso não é mais apenas desespero. Esse pessoal do Sarney endoidou de vez.

domingo, 13 de maio de 2018

Morre aos 93 anos o ex-governador do Maranhão Epitácio Cafeteira




O ex-governador e senador do Maranhão, Epitácio Cafeteira, faleceu no fim da tarde deste domingo, em casa. Aos 93 anos, Cafeteira estava internado em casa, por causa do delicado estado de saúde.
A informação foi confirmada através de nota do deputado estadual Rogério Cafeteira (DEM), sobrinho do ex-governador. Cafeteira deixa viúva a esposa Isabel. Durante a vida política, também foi prefeito de São Luís, além de senador e deputado federal do Maranhão.
Em nota, o  governador do Maranhão Flávio Dino (PC do B) se solidarizou com a família e decretou luto oficial.
Trajetória política
Nascido em João Pessoa, na Paraíba, Epitácio Cafeteira Afonso Pereira era filho de José Justino Pereira do Café e Eudóxia Afonso Pereira. A carreira política no Maranhão começou em 1962, quando foi eleito suplente de deputado federal pelo PR, chegando a exercer o cargo. Em 1965 foi eleito prefeito de São Luís e posteriormente ingressou no MDB. Foi prefeito da capital maranhense até 1969.
Em 1970 concorreu ao Senado pela primeira vez, mas foi derrotado. Em 1972, Epitácio Cafeteira foi eleito pela primeira vez como deputado federal em 1972 e reeleito em 1978 e 1982. Em 1986, Cafeteira foi eleito como Governador do Maranhão, com mais de 80% dos votos válidos.
Em 1990 renunciou ao Governo do Maranhão e foi eleito para o Senado Federal. Epitácio Cafeteira exerceu o cargo de senador com dois mandados, entre 1º de fevereiro de 1991 e 1º de fevereiro de 1999 e 1º de fevereiro de 2007 a 1º de fevereiro de 2015.
NOTA DE FALECIMENTO
É com imenso pesar e tristeza profunda que comunico a todos o falecimento do meu tio, ex-governador e ex-senador, Epitácio Cafeteira.
Ele encontrava-se enfermo e inspirava cuidados, em UTI residencial, decorridos de seu delicado estado de saúde.
Natural da Paraíba, Cafeteira veio ainda pequeno para o Maranhão, onde construiu uma admirável história política, dedicando a maior parte de sua vida a este estado, onde constituiu sua família.
Atualmente ele residia em Brasília e estava com 93 anos, deixando viúva a minha tia Isabel, de filha a minha prima Isabel e netos.
É um momento de bastante tristeza para toda a família. A perda, para mim que o considerava um segundo pai, está sendo muito difícil, mas com a certeza que agora ele descansa nos braços do nosso Deus todo poderoso!
Em nome de nossa família, agradeço as mensagens de solidariedade que temos recebido.
São Luís, 13 de maio de 2018
Rogério Cafeteira
Deputado Estadual

(G1 MA)