Banner

Banner

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Flávio Dino, a lavagem de informação e a vitória da verdade

O governador é inocente como Roseana Sarney não é, como Fernando Sarney nunca foi, como Edison Lobão jamais será, como José Sarney nunca quis ser.

JM Cunha Santos


Escancara-se, cada vez mais, a pusilanimidade do jornalismo praticado pelo Sistema Sarney de Comunicação. Deturpações, invencionices, mentiras descaradas e lavagem de informação. Da mesma forma que se acostumaram, conforme denúncias do MPF, do MPE, da PF, à lavagem de dinheiro, à evasão de divisas, praticam a evasão da verdade.
Um grupo político atolado em suspeitas de falcatruas parte para a execução pública sumária dos adversários, usando um monopólio de comunicação, durante tanto tempo sustentado com dinheiro público, como guilhotina. É vergonhoso e desalentador que seja isso o que apontam lá fora como imprensa do Maranhão.
“A verdade venceu”, disse o governador Flávio Dino no abater de uma mentira comprada em “tenebrosas transações” quando o Superior Tribunal de Justiça julgou improcedente a abertura de inquérito para apurar delações contra ele feitas “sem qualquer base real ou nexo com a verdade”. “O pedido de arquivamento é irrecusável, dada a falta de provas contra o governador”, disse o ministro Felix Fisher no atender ao pedido de arquivamento da denúncia contra Flávio Dino.
É no tratamento dado à notícia que se estabelecem as diferenças entre o que é jornalismo e o que é lavagem de informação. É no que se ouve, lê e vê no Sistema Sarney de Comunicação que se percebe que eles não sabem mais a diferença entre o que é jornalismo e o que é politicalha: “PGR envia ao STJ pedido de inquérito contra Flávio Dino”, estampou em manchete de capa o jornal O Estado do Maranhão. Mentira reforçando mentira. A Procuradoria Geral da República estava enviando o pedido de arquivamento do inquérito, estava afirmando que o governador é inocente das acusações.
Sim. O governador é inocente nesta como em todas as imputações do Sistema Sarney de Comunicação. O governador é inocente como Roseana Sarney não é, como Fernando Sarney nunca foi, como Edison Lobão jamais será, como José Sarney nunca quis ser. Este grupo político pula de processo em processo por corrupção, de denúncia em denúncia, de suspeita em suspeita, como abutres pulam de carniça em carniça. Sem saída, agem para que todos à sua volta tenham o mesmo cheiro que eles têm.

Nada, entretanto, é pior para a imprensa que a falta de credibilidade. O Sistema Sarney de Comunicação está afundando, se afogando, ele mesmo, no lodaçal de mentiras que criou no Estado. Seu melhor destino é o limbo, a indiferença, o pouco caso do povo do Maranhão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário