Banner

Banner

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Assassino confesso de maranhense morta no DF se apresenta à polícia

O crime aconteceu na noite de sábado (6), no município de Samambaia, no Distrito Federal.
MA10

DISTRITO FEDERAL – José Roberto Brito Moreira, de 46 anos, apontado como principal suspeito de assassinar a maranhense Ane Mickaelly Monteiro, se apresentou à polícia na última terça-feira (9) e confessou, em depoimento, o assassinato. O crime aconteceu na noite de sábado (6), no município de Samambaia, no Distrito Federal. A jovem foi assassinada a facadas.
A primeira versão dá conta de que a jovem teria sido assassinada por ter ido à casa do agressor pedir a filha dele em casamento, o que teria provocado a agressividade do assassino. No entanto, em depoimento à polícia, José Roberto afirmou que Ana Mickaelly foi morta porque provocava toda a família, por não ser correspondida pela jovem a quem teria pedido em casamento.
De acordo com o depoimento da filha de José, não havia relacionamento entre ela e a vítima.
Segundo o assassino, a maranhense queria namorar a filha dele, mas não era correspondida e, para ela, o motivo para não corresponder seus sentimentos seria porque a família não permitia o romance. O inquérito segue em andamento.
No momento do ato, José Roberto trabalhava com uma faca, com a qual ele assassinou Ana Mickaelly. No dia do crime, segundo o depoimento, a jovem teria jogado rojões em frente ao ponto comercial onde o agressor vende churrasco e, com isso, teria assustado os clientes, por volta das 18h. Às 22h, José, já irritado, pegou a faca que usava para fazer os cortes de carnes correu atrás dela e a matou.
Segundo ele, Ana espalhava boatos de que namorava a filha dele e isso provocava a família.
Ele deve responder por crime de homicídio qualificado, podendo cumprir até 30 anos de prisão.

Ana Mickaelly Monteiro Mendonça, de 22 anos, era natural de Presidente Dutra e morava sozinha em Samambaia, no Distrito Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário